Você sabia que a Imaculada Conceição de Maria é um dogma?

Dogma é um termo de origem grega que significa literalmente “o que se pensa é verdade”. Na antiguidade, o termo estava ligado ao que parecia ser uma crença ou convicção, um pensamento firme ou doutrina.

dogmas-pcorPosteriormente passou a ter um fundamento religioso em que caracteriza cada um dos pontos fundamentais e indiscutíveis de uma crença religiosa. Pontos inquestionáveis, uma verdade absoluta que deve ser ensinada.

Os dogmas proclamados pela Igreja Católica devem ser aceitos como verdades reveladas por Deus através da Bíblia. São irrevogáveis e nenhum membro da Igreja, nem mesmo o Papa, tem autoridade para os alterar. São exemplos de dogmas a Existência de Deus e da Santíssima Trindade, Jesus Cristo é Filho Natural de Deus, a Virgindade e Assunção de Maria, entre outros.

Um dogma pode ser proposto pela Igreja numa proclamação solene (por exemplo, o dogma da Imaculada Conceição) ou através do magistério ordinário (por exemplo, a verdade de que a vida do ser humano inocente é inviolável).

“Os dogmas são luzes no caminho da nossa fé, que o iluminam e o tornam seguro.”

Há algumas verdades doutrinárias na Igreja Católica que são estabelecidas como “dogmas da fé”, ou seja, nenhum católico que queira continuar católico pode negar ou mudar aquilo.

Isso é muito bom, por dois motivos: dão uma segurança incrível à nossa fé e impede que a Igreja Católica fique esfacelada como muitas outras religiões em que a interpretação das escrituras é plenamente livre e arbitrária.

Creia no que a Igreja ensina e tente saber a opinião correta que ela dá sobre este ou aquele assunto.

A Igreja Católica proclama a existência de muitos dogmas, sendo 43 o número dos principais. Eles estão subdivididos em 8 categorias diferentes:

  1. Dogmas sobre Deus
  2. Dogmas sobre Jesus Cristo
  3. Dogmas sobre a criação do mundo
  4. Dogmas sobre o ser humano
  5. Dogmas marianos
  6. Dogmas sobre o Papa e a Igreja
  7. Dogmas sobre os sacramentos
  8. Dogmas sobre as últimas coisas

Papa Pio IX, na Bula ”Ineffabilis Deus”, de 8 de Dezembro de l854 definiu solenemente o dogma da Imaculada Conceição de Maria:

“Declaramos, pronunciamos e definimos que a doutrina que sustenta que a Santíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, foi por singular graça e privilégio de Deus onipotente em previsão dos méritos de Cristo Jesus, Salvador do gênero humano, preservada imune de toda mancha de culpa original, foi revelada por Deus, portanto, deve ser firme e constantemente acreditada por todos os fiéis” (Dz. 1641).

a. Maria desde o primeiro instante que é constituída como pessoa no seio de sua mãe, o é sem mancha alguma de pecado (=pecado original).

  • Como foi concebida sem pecado:
  • Ausência de toda mancha de pecado.
  • Lema da graça Santificante.
  • Ausência da inclinação o mal.
  • Este privilégio e dom gratuito foi concedido apenas à Virgem e a ninguém mais, em atenção àquela que havia sido predestinada para ser a Mãe de Deus.
  • Em previsão dos méritos de Cristo porque a Maria a Redenção foi aplicada antes da morte do Senhor.

Provas das Escrituras:

  • ”Estabeleço hostilidade…” (Gn 3,15).
  • ”Deus te salve, cheia de graça.” (Lc 1,28).
  • ”Bendita tu entre as mulheres…” (Lc 1,42).

A Imaculada Conceição de Maria

“A Santíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, foi por singular graça e privilégio de Deus omnipotente em previsão dos méritos de Cristo Jesus, Salvador do gênero humano, preservada imune de toda mancha de culpa original.”

A Perpétua Virgindade de Maria

“A Santíssima Virgem Maria é virgem antes, durante e depois do parto de seu Divino Filho, sendo mantida assim por Deus até a sua gloriosa Assunção.”

Maria, Mãe de Deus

“Maria, como uma virgem perpétua, gerara a Cristo segundo a natureza humana, mas quem dela nasce, ou seja, o sujeito nascido não é uma pessoa humana pois é a pessoa eterna do Verbo que recebeu de Maria a natureza humana. Daí que o Filho de Maria é propriamente o Verbo que subsiste na natureza humana; então Maria é verdadeira Mãe de Deus, posto que o Verbo é Deus. Cristo: Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem.”

A Assunção de Maria

“A Virgem Maria foi assumpta ao céu imediatamente depois que acabou sua vida terrena; seu Corpo não sofreu nenhuma corrupção como sucederá com todos os homens que ressuscitarão até o final dos tempos, passando pela decomposição.”

FONTES:

http://www.significados.com.br/dogma/
http://www.catequisar.com.br/texto/materia/dout/lv03/10.htm
http://www.santuariodeaparecidarp.com.br/dogmas-catolicos
http://www.paideamor.com.br/diversos/dogmas/dogma6.htm

Sobre o autor

Paróquia Imaculado Coração de Maria

[email protected] Avenida Getúlio Vargas, 1193 - Rebouças - Curitiba/PR (41) 3224.9574 - Secretaria Paroquial

Um comentário

  • Leandro Reinhardt dos Santos

    É belíssimo este dogma pois nos mostra como é maravilhosa a graça de Deus que operou por meio da sua serva a beatíssima Sempre Virgem Maria para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, preservando a da mancha do pecado original, pois se é verdade que outrora o Todo Poderoso pediu para que a arca da Aliança que continha os dez mandamentos fosse ricamente ordenado, quem dirá o verdadeiro ostensório vivo que é a Virgem Maria para receber em seu seio aquele que é o Caminho a Verdade e a Vida.

    • 22:40 - 25/05/2015

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.