Oração do dia 16/05

Evangelho do dia comentado

16 de maio de 2019

Ó Deus, que restaurais a natureza humana, dando-lhe uma dignidade maior, considerai o mistério do vosso amor, conservando para sempre os dons da vossa graça naqueles que renovastes pelo sacramento de uma nova vida. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

João 13,16-20
Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus Cristo, a fiel testemunha, primogênito dos mortos, nos amou e do pecado nos lavou em seu sangue derramado (Ap 1,5).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.
Depois de lavar os pés dos discípulos, Jesus lhes disse: 13 16 “em verdade, em verdade vos digo: o servo não é maior do que o seu Senhor, nem o enviado é maior do que aquele que o enviou.
17 Se compreenderdes estas coisas, sereis felizes, sob condição de as praticardes.
18 Não digo isso de vós todos; conheço os que escolhi, mas é preciso que se cumpra esta palavra da Escritura: ´Aquele que come o pão comigo levantou contra mim o seu calcanhar´. 19 Desde já vo-lo digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais e reconheçais quem sou eu.
20 Em verdade, em verdade vos digo: quem recebe aquele que eu enviei recebe a mim; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou”.
Palavra da Salvação.

Evangelho comentado

FELIZ QUEM COMPREENDE E PRATICA A PALAVRA DE DEUS

O confronto com o Ressuscitado produzia efeitos diversos na vida dos discípulos. A mera constatação da presença de Jesus vivo não era suficiente. A Ressurreição devia tocar profundamente a vida de quem passava pelo processo de fé e aí deixar suas marcas. Ela consistia, em última análise, numa proposta de projeto de vida.
Sob este aspecto, o apelo do Ressuscitado dava continuidade ao processo de abordagem dos discípulos, no período pré-pascal.
Na Última Ceia, Jesus lavara os pés dos discípulos, apresentando sua atitude como modelo a ser seguido. Ele proclamou feliz quem fosse capaz de compreender seu gesto e de imitá-lo. Esse seria o verdadeiro discípulo.
Mas, naquela mesma circunstância, Jesus sabia que, no grupo de discípulos, havia alguém que haveria de se levantar contra ele. Os gestos e as palavras do Mestre não surtiram efeito algum sobre Judas. Não o demoveram do seu intento de trair Jesus. Seu testemunho deparou-se com um coração fechado.
Ao testemunhar Ressurreição de Jesus, os discípulos também encontraram pessoas dispostas a aceitá-los e por em prática seus ensinamentos, enquanto outras endureceram-se a ponto de persegui-los sem trégua. A sorte do Mestre tornou-se a sorte dos discípulos.

Fonte: Dom Total.

Sobre o autor

Paróquia Imaculado Coração de Maria

[email protected] Avenida Getúlio Vargas, 1193 - Rebouças - Curitiba/PR (41) 3224.9574 - Secretaria Paroquial