Oração do dia 14/06

Evangelho do dia comentado

14 de junho de 2019

Ó Deus, fonte de todo bem, atendei ao nosso apelo e fazei-nos, por vossa inspiração, pensar o que é certo e realizá-lo com vossa ajuda. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Mateus 5,27-32
Aleluia, aleluia, aleluia.


Como astros no mundo brilheis, pregando a palavra da vida! (Fl 2,15s)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
Naquele tempo, 27 disse Jesus: “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério.
28 Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração.
29 Se teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo todo seja lançado na geena.
30 E se tua mão direita é para ti causa de queda, corta-a e lança-a longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo inteiro seja atirado na geena.
31 Foi também dito: Todo aquele que rejeitar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio.
32 Eu, porém, vos digo: todo aquele que rejeita sua mulher, a faz tornar-se adúltera, a não ser que se trate de matrimônio falso; e todo aquele que desposa uma mulher rejeitada comete um adultério”.
Palavra da Salvação.

Comentário do Evangelho

O RESPEITO PELA MULHER

Numa sociedade onde a mulher era inferiorizada, Jesus reinterpretou o mandamento de não cometer adultério buscando inculcar no discípulo do Reino um profundo respeito por ela. E o fez condenando a atitude interior, que transforma a mulher em objeto de cobiça e maus desejos, mesmo antes de transformar o pensamento em ato. Embora o ato não seja concretizado, a transgressão do mandamento se consuma se o indivíduo dá livre curso a seus pensamentos depravados.
Diante desta eventualidade, o discípulo do Reino deve ser rigoroso consigo mesmo e cortar o mal pela raiz. As duas imagens usadas por Jesus para ilustrar esta disposição são fortíssimas. Ele falou de arrancar o olho direito e cortar a mão direita e jogá-los fora caso se transformem em ocasião de pecado. Jesus falava numa perspectiva de juízo final. O discípulo do Reino, ao violar o mandamento de Deus, deveria ter em vista sua sorte eterna. Conservar algo que se transformou em ocasião de pecado e pode levar à condenação é insensatez. É melhor privar-se dele e ser salvo, do que conservá-lo e ser lançado na ruína eterna.
Essa releitura do sexto mandamento esta relacionada com a bem-aventurança da pureza de coração. Só o coração não pervertido pela maldade pode olhar para uma mulher de maneira respeitosa, sem convertê-la em objeto de pensamentos maliciosos.

Fonte: Dom Total.

Sobre o autor

Paróquia Imaculado Coração de Maria

[email protected] Avenida Getúlio Vargas, 1193 - Rebouças - Curitiba/PR (41) 3224.9574 - Secretaria Paroquial