Oração do dia 11/09

Evangelho do dia comentado

11 de setembro de 2019

Ó Deus, Pai de bondade, que nos redimistes e adotastes como filhos e filhas, concedei aos que creem em Cristo a verdadeira liberdade e a herança eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Lucas 6,20-26
Aleluia, aleluia, aleluia.


Meus discípulos, alegrai-vos, exultai de alegria, pois grande é a recompensa que nos céus tereis um dia! (Lc 6,23).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
6 20Então Jesus ergueu os olhos para os seus discípulos e disse: “Bem-aventurados vós que sois pobres, porque vosso é o Reino de Deus!
21Bem-aventurados vós que agora tendes fome, porque sereis fartos! Bem-aventurados vós que agora chorais, porque vos alegrareis!
22Bem-aventurados sereis quando os homens vos odiarem, vos expulsarem, vos ultrajarem, e quando repelirem o vosso nome como infame por causa do Filho do Homem!
23Alegrai-vos naquele dia e exultai, porque grande é o vosso galardão no céu. Era assim que os pais deles tratavam os profetas.
24Mas ai de vós, ricos, porque tendes a vossa consolação!
25Ai de vós, que estais fartos, porque vireis a ter fome! Ai de vós, que agora rides, porque gemereis e chorareis!
26Ai de vós, quando vos louvarem os homens, porque assim faziam os pais deles aos falsos profetas!”
Palavra da Salvação.

Comentário do Evangelho:

O ANÚNCIO DA BOA NOVA

Na sinagoga de Nazaré, Jesus afirmara, com base num texto do profeta Isaías, ter vindo para proclamar a Boa Nova aos pobres. Este aspecto de sua missão foi concretizado no sermão das bem-aventuranças. Nele os pobres foram declarados senhores do Reino de Deus. Em outras palavras, são os preferidos do Pai, tendo um lugar especial no seu coração. É impossível pensar em notícia melhor!
A pobreza tem muitas faces. Ela pode ser material, caracterizada como carência de recursos, até mesmo para comer. Mas se expressa, também, na falta de motivo para se alegrar, como quando alguém é vítima da maldade alheia; na situação em que é odiado, desterrado, injuriado, declarado maldito por causa da opção pelo Reino. São todas situações em que o ser humano vê totalmente desrespeitada a sua dignidade.
O anúncio feito por Jesus está em perfeita consonância com o modo de agir de Deus, ao longo de toda a história da salvação. Desde o êxodo, quando tomara a defesa de seu povo oprimido no Egito, Deus havia se manifestado como quem toma o partido dos pobres e indefesos, fazendo jus à sua condição de Pai justo e fiel, que está presente na história humana, para fazer justiça aos excluídos.
A Boa Nova dos pobres, por conseguinte, consistia em saber que têm Deus a seu favor.

Fonte: Dom Total.

Sobre o autor

Paróquia Imaculado Coração de Maria

[email protected] Avenida Getúlio Vargas, 1193 - Rebouças - Curitiba/PR (41) 3224.9574 - Secretaria Paroquial