Dia da Mulher – 2020

Mensagem do nosso pároco, Padre Eguione Nogueira, cmf, para o dia Internacional da Mulher:

Hoje, Dia da Mulher, celebramos a herança que as mulheres possuem pela santificação do Espírito. Como diz o poeta moçambicano Mia Couto: “Todos sabemos que o céu ainda não está acabado. São as mulheres que, desde há milênios, vão tecendo esse infinito véu”.

Muitas mulheres foram exemplos brilhantes de liderança ao longo da nossa história. A própria história da salvação está permeada por diversos testemunhos de mulheres de fé, com as quais Deus quis contar para narrar sua história conosco. Muitas foram verdadeiras protagonistas do Povo de Israel.

Maria, pelo “Sim”, é celebrada como a Mulher no Céu, pois foi a grande tecelã da história divina no meio de nós. Ao dizer que ela é bendita entre as mulheres, a Igreja afirma que, por Maria, todas as mulheres são abençoadas e, com isso, que todas devem ser respeitadas na sua dignidade feminina
Celebrar a figura feminina neste dia significa, também, denunciar, sobretudo o aumento da violência contra a mulher e do feminicídio. Em 2017, a cada dez feminicídios, registrados em 23 países, quatro ocorreram no Brasil. O Papa Francisco, em sua Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, ao mencionar as situações de fragilidade que devem ser cuidadas, afirma que “duplamente pobres são aquelas mulheres que sofrem situações de exclusão, maus-tratos e violência, sobretudo por serem muitas vezes incapazes de defender os seus direitos. Mesmo assim, testemunhamos constantemente exemplos impressionantes de mulheres que vivem um heroísmo cotidiano, defendendo e protegendo as suas vulneráveis famílias” (EG, n. 212).

Defender os direitos das mulheres, como por exemplo, a igualdade salarial, não pode ser visto como ideologia. Para nós cristãos, é um imperativo moral defender a dignidade feminina, pois como nos diz São Paulo: “Não há judeu nem grego, escravo ou livre, homem ou mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, então, sois descendência de Abraão e plenos herdeiros de acordo com a Promessa” (Gal 3,28-29).

Podemos dizer que as mulheres são tecelãs de um véu infinito, pois “não apenas trazem a vida, mas nos transmitem a capacidade de olhar mais além, a capacidade de entender o mundo com olhos diferentes, de sentir as coisas com um coração mais criativo, mais paciente, mais terno” (Papa Francisco, 8 de março de 2015).

Que o Imaculado Coração de Maria, mulher da ternura, interceda por todas as mulheres.

Padre Eguione Nogueira, cmf

Sobre o autor

Padre Eguione Nogueira

Missionário claretiano, nasceu em Ceres-GO aos 15 de fevereiro de 1987. Ingressou no Seminário Menor da Congregação dos Missionários Claretianos em Pouso Alegre-MG no ano 2002, cursando o Ensino Médio. Entre os anos 2005 e 2007 cursou Filosofia nas Faculdades Claretianas de Batatais-SP. Fez o noviciado na cidade de Cochabamba-Bolívia, onde emitiu os Primeiros Votos Religiosos no ano 2009. Entre os anos 2009 e 2013 cursou Teologia no Studium Theologicum de Curitiba-PR, sendo que em 2011 fez uma experiência apostólica em Moçambique. Foi ordenado presbítero no ano 2014 e destinado a trabalhar na cidade de Contagem-MG como vigário paroquial e auxiliar de formação. Entre 2015 e 2017, estudou Teologia Pastoral na cidade de Madri. Atualmente é Pároco na Paróquia Imaculado Coração de Maria em Curitiba/PR, e professor no Studium Theologicum.