Claret Contigo – 17 de setembro

Todos os dias uma meditação sobre as palavras do nosso Padre Fundador

17 de setembro de 2020

“Como nestes dias me encontro tão perseguido, pensarei que tudo vem de Deus e que Ele quer de mim este sacrifício: que sofra por seu divino amor toda espécie de penas na honra, no corpo e na alma” (Propósitos de 1864; AEC p. 707).

AMOR NO SOFRIMENTO

Assim como a mensagem evangélica é incisiva e tem a capacidade de sacudir as consciências, até incomodar pessoas ou grupos que vivem satisfeitos no erro, é normal que gere oposição, inclusive, violenta. Por isso as perseguições não são nada de novo no cristianismo; vendo sua história temos a impressão de que são inevitáveis a quem procura viver o evangelho radicalmente, como autênticas testemunhas do mesmo. As perseguições podem revestir caráter de ataque físico, inclusive em forma de atentados (parece que contra o Padre Claret se conhecem uns quatorze); outras vezes revestem formas mais sutis: privação da fama, da paz… até dos direitos mais básicos, chegando a “fazer a vida impossível” a alguém.

A resposta cristã não é a mera resignação passiva, mas a valentia e integridade, na convicção de que com sofrimentos seguimos mais visivelmente as pegadas de Jesus e de que a não-violência é a única capaz de oferecer um modelo diferente, verdadeiramente construtivo e humanizante, acabando com a tendência à vingança. Às vezes o fruto positivo tarda em fazer-se palpável, pois cresce lentamente.

Infelizmente, tanto no mundo das religiões como na sociedade civil, a história tem fracassado neste aprendizado. O cristianismo, seguidor de um inocente perseguido e assassinado, está chamado a oferecer à humanidade esta alternativa. A forma mais nobre de superar o sofrimento é sem dúvida a da compaixão cristã e a misericórdia para com os que o infligem; a pessoa fica dignificada e pode acabar, como o perseguido Jesus, oferecendo ao Pai seu ser transformado. “Em tuas mãos entrego meu espírito” (Lc 23, 46), foi a última e talvez a mais bela oração pessoal de Jesus perseguido ao Pai acolhedor.

Você está ameaçado e desanimado por perseguições ou armadilhas que encontra em sua vida cotidiana? Saberá responder com compaixão e caridade?

Tradução: Padre Oswair Chiozini,cmf

About Author

Paróquia Imaculado Coração de Maria

pcormaria@pcormaria.com Avenida Getúlio Vargas, 1193 - Rebouças - Curitiba/PR (41) 3224.9574 - Secretaria Paroquial