Claret Contigo – 08 de julho

Todos os dias uma meditação sobre as palavras do nosso Padre Fundador

08 de julho de 2020

“Ó meu Deus, quão bom sois! Quão rico em misericórdia tendes sido para comigo! Se a outro tivésseis dado estas graças, teria este correspondido melhor que eu” (Aut 21).

CORRESPONDER À GRAÇA

Somos obrigados ser agradecidos a Deus e aos demais por tudo o que têm feito e fazem por nós: devemos ter consciência de que somos o que somos graças ao Deus da vida, graças aos nossos pais, à nossa família, aos nossos professores, aos nossos amigos e a tanta gente que nos tem mostrado seu amor, se tem sacrificado por nós, nos tem dado confiança, formação, apoio e um longo etcétera.

Certamente, começando por Deus, tudo isto nos tem sido oferecido sem pedirmos nada em troca, de forma gratuita, por amor.
Mas não tem dúvida de que os dons recebidos nos fazem responsáveis diante de Deus e diante dos demais. Não são dons para que usemos somente para nós, mas para o bem de todo o corpo, como diria São Paulo. Por isso, devemos sentir-nos impelidos a corresponder a tanto amor, como o Padre Claret. Primeiro, com nosso agradecimento. Depois, fazendo frutificar generosamente os bens recebidos.

Claret, na sua grande humildade, se reconhecia como um burro carregado de joias, isto é, portador de uma riqueza que não lhe pertencia. E achou que aqueles dons e habilidades não poderiam ficar infecundos; daí sua incrível laboriosidade. Parece demonstrado que durante boa parte da sua vida não dormia mais que três ou quatro horas por noite. Somente assim pode compor mais de 120 obras literárias, sempre de caráter educativo-pastoral, além de dedicar a maior parte das suas jornadas à pregação, direção espiritual e atenção aos penitentes no confessionário.

Como agradecemos e correspondemos a tanto bem recebido?

Tradução: Padre Oswair Chiozini,cmf

Sobre o autor

Paróquia Imaculado Coração de Maria

[email protected] Avenida Getúlio Vargas, 1193 - Rebouças - Curitiba/PR (41) 3224.9574 - Secretaria Paroquial