Claret Contigo – 06 de julho

Todos os dias uma meditação sobre as palavras do nosso padre Fundador

06 de julho de 2020

“Quando se despreza Jesus Cristo e sua doutrina, despreza-se a vida na ordem da inteligência moral e social. O princípio da vida intelectual para um povo consiste em ter crenças e a primeira condição para ter crenças é ter um símbolo e um símbolo não se tem sem Jesus Cristo e sem Jesus Cristo as inteligências não afirmam, duvidam, negam e por causa da dúvida e da negação as inteligências perdem a vida, estão mortas. Perdendo Jesus Cristo, que é a verdade e a vida, encontram Satanás, que é o pai da mentira e o autor da morte” (Carta Ascética… ao presidente de um dos coros da Academia de São Miguel. Barcelona, 1862, p. 47).

ONTEM, HOJE E SEMPRE

Mais que uma doutrina ou uma série de normas, o cristianismo nasce como um novo caminho (cf. At 9, 2; 22, 4), um novo gênero de vida que tem Jesus Cristo como norma suprema. Todo cristão e toda vida cristã deve ser entendida unicamente desde Cristo e em Cristo. O apóstolo Paulo diz, com sinceridade: “Minha vida é Cristo” (Fl 1,21). Para Paulo foi a única eloquência, sabedoria e conhecimento, que desbaratou toda sabedoria humana (cf. 1Cor 1,19), e que deu sentido à sua vida. Foi assim também para Claret. A vida apostólica é um itinerário audacioso em meio às mais variadas vicissitudes. E Claret viveu este gênero de vida.

Sustentado pela sua fé, o apóstolo leigo está chamado a trabalhar para melhorar a família, a economia, as artes, as profissões, a política, as relações entre os povos, cujo protagonista é sempre o homem. Sua missão é aperfeiçoar o homem, humanizá-lo e orientá-lo ao seu fim, guiado pela Mensagem de Jesus, até conseguir uma renovação das atividades, ambientes, critérios, interesses e formas de pensar.

A Igreja tem mostrado uma sintonia especial com os que procuram a verdade, os homens do pensamento e da cultura, pelos exploradores do homem, do universo e da história, às vezes decepcionados pela procura vazia. Interessou-se pela obra dos poetas, literatos e artistas, os mestres na arte de comunicar. A Igreja caminha com eles para o homem integral, cujo ideal é Cristo, o homem perfeito.

Que sinal apresento eu para fazer de Cristo a norma e bússola da minha vida? Minha presença em meio à sociedade serve de propaganda para que a condição humana esteja de acordo com o projeto de Cristo, o homem perfeito?

Tradução: Padre Oswair Chiozini,cmf

Sobre o autor

Paróquia Imaculado Coração de Maria

[email protected] Avenida Getúlio Vargas, 1193 - Rebouças - Curitiba/PR (41) 3224.9574 - Secretaria Paroquial